sexta-feira, 6 de novembro de 2009

05/11/2009 - O dia da notícia inesperada e feliz

Hoje, cinco de Novembro de 2009, recebi uma notícia inesperada que me encheu de orgulho: Vou ter a solene honra de receber um prémio por ter tido a melhor nota de acesso ao meu querido instituto de contabilidade e administração de Lisboa.

Sem dúvida que o mérito foi meu porque dediquei-me 100% aos estudos, mas, também devo o meu sucesso à melhor professora de matemática do mundo: Professora Margarida Carvalho. Também reconheço que sem o novo modelo das novas oportunidades para maiores de 23 anos e sem os cursos de preparação da Invent nunca teria conseguido!
obrigada a todos!!!

sessão solene de abertura do novo ano lectivo 2009/2010

... E o grande dia (11-11-2009) chegou; (impossível de repetir)!

domingo, 13 de setembro de 2009

Tom Ripley

http://media.cineminha.com.br/posters/ripley.jpgRIPLEY UNDER GROUND - 2005
"Depois que um jovem artista de sucesso é assassinado, um de seus amigos que mora em Londres faz de tudo para encobrir o crime e tentar manter o nome do amigo a salvo de qualquer boato ou especulação. Sua intenção é tirar proveito da situação, colhendo a herança da vítima e ganhando milhões durante todo o processo."

realização
Roger Spottiswoode

intérpretes
Barry Pepper, Jacinda Barrett, Tom Wilkinson, Willem Dafoe, Alan Cumming, Claire Forlani


Psicopata…? Talvez!
É Tom Ripley quem engendra
Sem deixar fugir uma boa oportunidade
Nem a sorte que tanto o caracteriza.

Pode não ter cometido crime
Mas tem um corpo, morto, na mala do carro.

Da situação sairá ileso… e ainda, milionário.

Psicopata…? Talvez!
É Tom Ripley o mais inteligente
Com maquiavélica mente.
Mas por vezes salva… não mata! (não tem interesse).

Sairá da situação como suspeito… dum crime perfeito.

Homem de classe e requinte que a todos impõe respeito e medo
… É Tom Ripley; o insano!

Psicopata…?

O único com o dom da repulsa e do encanto.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

MARK KNOPFLER, no Campo Pequeno, dia 27/07/2010.

... E se Deus quiser... lá estarei! Para poder usufruir de mais um dia feliz.
*
Já sinto tantas saudades!!! (não vou matá-las tão cedo. LOL)
*
... No entanto, considero-me uma privilegiada: Mark Knopfler dá mais uma oportunidade de poder ir vê-lo!!! :D

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Faz hoje doze anos...

http://fatboy.cc/images/Princess%20Diana%203.jpg

Faz hoje doze anos que faleceu Diana Frances Spencer (princesa do povo), precisamente, com a idade que eu tenho.
Olhando para trás faz-me confusão... os anos passaram impiedosamente! Mas o pior é a ironia de tudo isto; a ironia da vida!
Imagino-me, ainda, com tantos anos pela frente... com tanto por realizar...
No entanto, sei que nem todos vivem o mesmo número de anos com a mesma intensidade e proveito.
Há quem viva menos anos mas intensamente e, outros, vivem tantos anos... chegam a velhos e "nada" fizeram; muito menos em prol dos outros: por exemplo, dos mais desfavorecidos.

Talvez por isso, hoje, eu e tantos outros, nos lembramos dela.

sábado, 29 de agosto de 2009

Há terra sem manto verde

87128919, Ryan McVay /Stone

Na terra onde a chuva cai gota a gota
Há cheiro a terra molhada
E há a vida que dela brota
Como um botão de rosa em aguarela vestida.

No campo virgem e sem passado
Há terra sem manto verde e rio
Mas há um fosso a céu aberto e ardo
Onde as fendas áridas são fundas e em fio.

A terra fossa e treme…
Estremece e amedronta com sonante som cavo
Limpa o sebo até à epiderme.

E quando a chuva cai ininterruptamente
Sobre terra seca e sem cebo
Afunda-se a morte e cava-se semente.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

HAPPY BIRTHDAY MARK KNOPFLER!

A VERDADEIRA CARLOPFLER! LOL
Dear mark,
you are my idol and i wish for you: the best of the world!!!
I has listen your new song: "get lucky". Just amazing!!!
thank you for all this years with fantastic music! You are the ONE!
HAPPY, HAPPY BIRTHDAY!!! :)*****

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

GET LUCKY - MARK KNOPFLER :))

... E mais uma vez... MK a surpreender-me e a prender o meu ouvido. Até parece que faz música para mim! LOL


... IS ALL... THE BEST!!! :))

sábado, 1 de agosto de 2009

Na praia...

80357353, Jamie Grill /Tetra images


Na praia…
O sol possui a minha alma
Rejuvenesce-a com o seu aroma.

À pesca de um dia de poesia
Engolfo-me em Mar de costa serrana
Versejando, com os meus passos, em areia molhada.

Na praia…
Voo, planando, como gaivota em plena maresia
À pesca dum poema...

terça-feira, 28 de julho de 2009

À sorte (ou não)...

http://img466.imageshack.us/img466/273/mortetarfinalminipo8.jpg

Baralhada…
Entre um ás de copas e uma valete qualquer
Entre o submundo da batota.

À sorte (ou não) tiro uma carta
E leio tarot.
Faço da ilusão a carta mais farta.

O baralho é-me dado…
Dou cartas.
Baralhando...

Na última cartada
Vicio naipes e o destino
Julgando ter joker de amuleto.

À sorte (ou não) jogo o jogo da vida
Até que a morte chegue...

... com a carta treze.

terça-feira, 14 de julho de 2009

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Existirá... em cada palmo de terra do nosso corpo?!?!




Existe uma árvore
Cujos ramos se transformam em braços
E o tronco se transforma em tronco humano.

Uma árvore de rosto entroncado
Com sorriso resinado
E olhos folheados dum verde-escuro.

Árvore de coração enraizado até aos confins do mundo
Que dá várias espécies de fruto:
Amor, amizade, sinceridade, dádiva, paz…

… Árvore que poderá existir em cada palmo de terra do nosso corpo

…Existe uma árvore…o lado bom de cada um de nós?!?!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

"You`ll remember the love you found here"

"One day in your life
You'll remember the love you found here
You'll remember me somehow
Though you don't need me now
I will stay in your heart
And when things fall apart
You'll remember one day..."


Uma pequena homenagem a um homem que nasceu para ser estrela:
(a minha música preferida de MICHAEL JACKSON)


quarta-feira, 10 de junho de 2009

Pássaro dos céus

http://www.enciclopedia.com.pt/images/a380_middle.jpg


De país a país
De continente a continente
Voa o pássaro dos céus
Com sustenta beleza e magnitude

Sob os comandos dum piloto e comandante
E de computadores de topo
Viaja por caminhos de céu aberto
Ou céu molhado e adverso

Pássaro migratório
Transportador de vidas e de sonhos
Às rotas dá um destino
E dá asas ao desejo dum novo rumo

E assim se pode voar…
Conhecer o mundo e viajar
Neste pássaro de espécie aeronave
Avião comercial com voo de ave.



Devido ao meu fascínio de andar de avião e à sua beleza fiz este poema, que dedico a todos os pilotos, homens que considero de grande coragem e que por isso têm toda a minha admiração, e a todos os viajantes que tiveram a infelicidade de sofrerem acidentes ou terem encontrado a morte neste meio de transporte, que ainda é considerado o mais seguro do mundo.
Paz à alma de todos que faleceram!

terça-feira, 9 de junho de 2009

Competências Profissionais dos Enfermeiros - By Susana Sobral Mendonça



"A Editorial Novembro e a autora Susana Sobral Mendonça têm o prazer de convidar V. Ex.ª e acompanhante a estarem presentes no lançamento do livro Competências Profissionais dos Enfermeiros - A Excelência do Cuidar, a ter lugar no dia 15 de Junho, às 17h30, na Galeria de Arte do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, no piso 2.
A apresentação contará com a presença da Doutora Maria Augusta Romão da Veiga Branco.

O novo título da Colecção Nexus representa um estudo teórico-prático sobre as Competências do Enfermeiro de Cuidados Gerais, definidas pela Ordem dos Enfermeiros. É um livro do interesse de profissionais e estudantes das Escolas de Enfermagem e das Instituições de Saúde pelo facto de expôr uma concepção do enfermeiro não só como prestador de cuidados, mas, também, como formador de conhecimentos e competências que, ao serem executadas na prática diária, virão a servir de modelo e a ser replicadas pelos seus formandos.

Para além de verificar a aplicabilidade e percepção dessas competências, identifica o perfil de Auto-Consciência e Auto-Motivação, e, também, as categorias de Satisfação e Não Satisfação Profissional numa amostra de 300 enfermeiros, em 9 instituições.

Assim, a presente investigação dá resposta à questão emergente: que competências estão a ser praticadas pelos enfermeiros e percepcionadas pelos formandos?

Por fim, segundo as palavras da autora, este estudo “tem como finalidade recuperar a necessidade do desenvolvimento de competências de enfermagem e competências emocionais em contextos laborais e, ainda, tornar expressivo o quanto o exercício dessas competências pode ser um factor de mais-valia na educação/formação em enfermagem.”

terça-feira, 2 de junho de 2009

GET LUCKY - O novo trabalho de MARK KNOPFLER :))



"NEW STUDIO ALBUM: Mark has completed work on his next solo CD - Get Lucky - which is scheduled to be released worldwide on or around the 14th of September 2009.

Tour dates for 2010 will be 'rolled out' at around the same time. The GL tour is likely to commence in the USA in late-April 2010 and end in Europe at the end of July."

YES!!!

Este homem é extraordinário!!!

In Pulsos - O Livro da maravilhosa poetisa CLEO

É com imenso prazer que anuncio o lançamento do livro de poesia: In Pulsos, da poetisa CLEO. Com a chancela da editora: TEMAS ORIGINAIS.

O CONVITE ESTÁ FEITO:

"A autora, Lurdes Dias (Cleo) e a Temas Originais, têm o prazer de o convidar a estar presente na sessão de lançamento do livro “In Pulsos”, a ter lugar no Auditório sito ao Campo Grande, 56, Lisboa, no próximo dia 6 de Junho, pelas 19:00. Obra e autora serão apresentadas pela escritora Mel de Carvalho."


Lindo, não é? Será um sucesso!!! PARABÉNS, querida Cleo!!!

Há Mar e (a)Mar...



O coração solta-se da concha

Para fazer parte do corpo do mar

Enrola-se em ondulante brisa

E pulsa com o sangue na guelra amar.


Com marés vivas vive num vaivém

Fôlego de inquietante corrente...

Navegante d`águas costeiras e além Mar.


O coração amarra-se a outro coração

Para não naufragar...

Embarca em lendárias barcas de paixão.


Há Mar e (a)Mar...

sábado, 23 de maio de 2009

terça-feira, 5 de maio de 2009

"Quem sou eu para ficar triste?"

Não posso, jamais, ficar triste!

Quando, na realidade, eu sou tão feliz!...



(Alanis Morissette; FANTÁSTICO!!!)

Sou fã de "Tom Ripley"!

"Tom Ripley" é uma personagem criada pela extraordinária escritora Patricia Highsmith. Trata-se dum criminoso/psicopata cheio de talento e sorte.
É uma verdadeira delícia ler "Tom Ripley"!

Já li:

- O talentoso Mr. Ripley
- O rapaz que seguiu Ripley
- Ripley debaixo de água

E gostaria de ler mais... se encontrasse!



domingo, 3 de maio de 2009

Somente o coração não mente!



Nem sempre a boca fala o que o coração sente; somente o coração não mente!


Quantas vezes falamos só com o intuito de agradar ao próximo, apenas por sentimentos de bondade, amizade, amor, para não parecer mal, para não magoar, para benefício próprio e sem olhar aos sentimentos dos outros e, até por interesse (o chamado "dar graxa").

Quantas vezes omitimos o que o coração sente? Quantas vezes a boca mente?

(Mas só podemos sentir o que sentimos e nada mais).

Ai... se da boca só saíssem frases que o coração sente e com a rapidez do pensamento? O mundo não seria este mundo... seria outro diferente.

Mais verdadeiro!...

Até insano! Porque, como sabemos, a verdade não mata mas mói!

terça-feira, 28 de abril de 2009

"Nem todos podem ser ilustres, mas todos podem ser bons." Confúcio


Ele é actor, encenador, guitarrista; com enorme jeito para o desenho e escrita.
Por tudo isto, e merecidamente, foi homenageado no passado dia 23, na SIC.
ANTÓNIO FEIO.
(Que espero ver curado e com muita saúde!!!)
No mesmo dia, também foi homenageado um outro "grande": RUI COSTA.
Dois ILUSTRES e BONS!

terça-feira, 21 de abril de 2009

"Perfeito vazio" - Xutos & Pontapés

PARA MIM, A MÚSICA MAIS LINDA DOS "XUTOS". ADORO!!!

"Aqui estou eu
Sou uma folha de papel vazia
Pequenas coisas
Pequenos pontos
Vão me mostrando o caminho

Às vezes aqui faz frio
Às vezes eu fico imóvel
Pairando no Vazio
As vezes aqui faz frio

Sei que me esperas
Não sei se vou lá chegar
Tenho coisas p'ra fazer
Tenho vidas para a acompanhar

Às vezes lá faz mais frio
Às vezes eu fico imóvel
Pairando no vazio
No perfeito vazio
Às vezes lá faz mais frio

(lá fora faz tanto frio)

Bem-vindos a minha casa
Ao meu lar mais profundo
De onde saio por vezes
Para conquistar o mundo

Às vezes tu tens mais frio
Às vezes eu fico imóvel
Pairando no vazio
No perfeito vazio
Às vezes lá faz mais frio
No teu peito vazio"

domingo, 5 de abril de 2009

OS MAIAS


imagem do casal de personagens principal da peça: "os maias no trindade"http://teatrotrindade.inatel.pt/imprensa/osmaias/Maias_Janela4_small.jpg
http://www.a23online.com/portal/wp-content/uploads/2009/02/maias-1.jpghttp://1.bp.blogspot.com/_YCpnddaaJDk/SaxSmzwXguI/AAAAAAAAA7M/vvkbdDp2bN0/s400/Maias14ClementinaCabral.jpg


Hoje, 5 de Abril de 2009, assisti no belíssimo teatro da trindade a peça encenada pelo actor/encenador Rui Mendes, "Os Maias", de Eça de Queiroz.

Uma história incrivelmente actual em alguns aspectos.

As interpretações foram magníficas; destaco os momentos de maior humor, interpretados pelos actores João Didelet e Pedro Górgia.

Um excelente trabalho de profissionais de alta qualidade! (Luís Mascarenhas, um querido amigo, é um deles!)

PARABÉNS A TODOS!!!

___________________
Texto António Torrado
Encenação Rui Mendes
Cenografia e figurinos Ana Paula Rocha
Desenho de luz Carlos Gonçalves
Direcção musical Afonso Malão
Intérpretação Afonso Malão, Augusto Portela, Igor Sampaio, João Didelet, José Airosa, José Fidalgo, Luis Alberto, Luis Mascarenhas, Mário Jacques, Pedro Górgia, Rogério Vieira e Sofia Duarte Silva.
Produção Fundação INATEL/Teatro da Trindade

"Em 1867, o Teatro da Trindade abria pela primeira vez as suas portas, nascendo assim aquele que viria a ser, e permaneceu ao longo destes 140 anos, um dos mais importantes e belos Teatros de Lisboa.
Alguns anos depois, em 1888, foi tornada publica a 1ª edição de Os Maias, talvez o mais notável romance de toda a literatura portuguesa. Nele, o seu autor, Eça de Queiroz, imaginou uma significativa cena passada no Trindade. Foi esse o ponto de partida para a leitura que o dramaturgo António Torrado fez da obra, traduzindo assim em linguagem teatral o grandioso fresco da sociedade portuguesa do século XIX que, à data da sua publicação, constituiu um polémico escândalo, pela autenticidade da denuncia de uma colectividade apagada e pretensiosa, por vezes reles, por vezes ridícula.
É um vasto friso de tipos caricaturais que nos surgem em forma de crónica de costumes, servindo de pano de fundo à trágica historia amorosa de Carlos e Maria Eduarda, que, com a companhia da excentricidade de João da Ega, projecção do próprio autor, constituem o trio central do drama a que Eça deu o sub-título de Episódios da vida romântica.
O espectáculo que agora se apresenta no Teatro da Trindade, com encenação de Rui Mendes, permanecendo embora fiel às características originais do romance, não deixa de sublinhar a flagrante actualidade que se desprende da mesma. Será que, nos aspectos essenciais da sociedade portuguesa, mudou assim tanta coisa nos últimos cento e tal anos?
Este espectáculo poderá contribuir para esclarecer esta dúvida.

Paralelamente ao espectáculo haverá um conjunto de iniciativas à volta do escritor Eça de Queiroz. "

SALA Principal
5 de Fevereiro a 26 de Abril // 4ª a Sábado 21h30 e Domingo 16h
Classificação etária M/12

Duração 120 min (com intervalo)

Preço 10€ a 15€


Descontos: 20% - Jovens c/ - 25 anos, Seniores c/+ 65 anos, Pin Cultura, Profissionais Espectáculo
30% - Grupos + 10 pax, Sócios INATEL

»
Em digressão

Caldas da Rainha – Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha
30 de Abril . 14h30 e 21h30

Figueira da Foz – CAE Figueira da Foz
2 de Maio 21h30
Bilheteira 233 407 200

Fafe – Cine-Teatro de Fafe

9 de Maio 21h30

Leiria – Teatro José Lúcio da Silva
14 de Maio 21h30
Bilheteira 244 823 600

Ílhavo – Centro Cultural de Ílhavo
23 de Maio 21h30
Bilheteira 234 397260

Lagoa – Auditório Municipal de Lagoa
28 de Maio . 14h30 e 21h30
Bilheteira 282 380 434 |

domingo, 29 de março de 2009




"É difícil apanhar um gato preto em uma sala escura. Especialmente se não há nenhum gato."
Confúcio a.C.

Às vezes, é tudo uma ilusão; já não está lá quem um dia esteve e, se calhar, nunca chegou a permanecer!...
"Eu ouço e esqueço. Eu vejo e lembro. Eu faço e entendo" Confúcio a.C.

Só fazendo e praticando é que nós aprendemos!...

sábado, 21 de março de 2009

Líquidas saudades



Hoje, chorei lágrimas do passado
Escorregaram recordações pelo meu rosto
Líquidas saudades p`los meus olhos
Escoaram memórias do meu íntimo.

terça-feira, 17 de março de 2009

Je t'aime!



Interiorizei em mim
Uma brisa fonética
Um zumbido… um nome.
Quatro letras nos quadrantes
Do raio circundante que me envolve.

Dos meus lábios escorrem letras
Vogais e consoantes que soletram o nome.
Voz que o coração expele...
Como aragem que arrepia a pele
Interiorizando em mim a vibração duma frase:

… Meu AMOR,

Je t`aime!


sábado, 7 de março de 2009

Estreia hoje, no teatro da trindade: CLARIBOMBO

http://1.bp.blogspot.com/_I5MwT-4-FhQ/SA5oCOtwGWI/AAAAAAAAAIQ/NLmnP_moda8/s400/01.jpg

*

Sob textos de António Torrado e Maria Alberta Meneres
Adaptação | Conceito | Direcção Carlos Curto
Máquina de Cena | Adereços | Grafismo Luís Valido
Figurinos Zé Nova
Música projecto GoG (Luís Vitorino | Genoveva Faísca | Carlos Curto)
Banda Sonora | Desenho de Luz Carlos Curto
Interpretação João Brás | Luís Santiago | Nuno Machado
Co-produção projecto GoG | Histórias Contadas

*

É com todo o prazer, que anuncio no meu blogue, a estreia do espectáculo para crianças e não só: Os Claribombo.
Desejo-lhes uma óptima estreia, com sala cheia e muitas risadas, enfim, muito sucesso!
Aqui, faço destacar um dos palhaços e meu amigo, Luís Santiago.


“Não custa nada inventar…, pois não! Não custa nada inventar palavras, pessoas, brincadeiras, confusões…”
Um espectáculo brincadeira! E foi o que fizemos.
Tendo como base textos para palhaços de Maria Alberta Meneres e de António Torrado, construímos um espectáculo essencialmente lúdico, onde procuramos estimular o espírito criativo e a construção abstracta como forma de expressão liberta de regras e lógicas impostas por um mundo “adulto”.
»
SALA PRINCIPAL
7 Março a 25 Abril // Sábado 16h00
Classificação etária M/4

Grupos Escolas 10 de Fevereiro a 24 de Abril
5ª> 11h | 3ª e 6ª > 11h e 14h30
Publico Alvo Pré-escolar ao 1º ciclo

Duração 45 min

Preço 10€

10% - Crianças até 12 anos, Profissionais do Espectáculo, Pin Cultura, Cartão Fnac, seniores (+65)
20% - Grupos + 10 pax e Sócios INATEL

quarta-feira, 4 de março de 2009

Dedos beijados...



Pego numa caneta
Envolvo os meus dedos nela
E sinto o início…
Com fim e objectivo descrito.

Escrevo a preto
Palavras redundantes
Que se amam como amantes
Nas camas de pergaminho.

E sinto a caneta na minha pele
Astuta e indelével
Movendo-se entre os meus dedos
Com carícias e desejos.

Gera-se um texto…
Depois dum período de namoro
Com vestígios de tinta como marcas de beijo
Em folha beijada na frente e no verso.

… Dedos beijados…
… por uma caneta de aparo.

terça-feira, 3 de março de 2009

FEIO & FRIENDS no OLGA CADAVAL



Quinta-feira, 7 de Maio de 2009
Hora:
21:30 - 23:00
Local:
Olga Cadaval
Cidade/Localidade:
Sintra, Portugal

Descrição:

"António Feio, rodeado por um grupo de amigos, decide formar uma banda para dar um concerto num registo descontraído, bem humorado e de grande cumplicidade com o público.

Ao todo vamos poder ouvir um alinhamento de canções que nos marcaram a todos de forma indelével.

Desde as bandas sonoras de filmes, até às canções de genéricos de séries infantis, passando ainda pelas publicidades clássicas, tudo cabe no repertório desta banda.

Tudo, tudo não é bem assim. Um dos músicos, que Feio com o seu bom feitio permitiu que fizesse parte da banda, contrariando a vontade dos outros elementos, insiste em fazer versões de músicas e solos em... Flauta de Pan.

Mas, nem esta nota dissonante vai conseguir desafinar o harmonioso, fabuloso e mais outra coisa acabada em "oso"(que não nos lembramos agora), concerto dos...Feio & Friends.

Com António Feio e Miguel Camilo nas guitarras, Alexandre Manaia no teclado, Nuno Oliveira no baixo, Mauro Ramos na bateria, Paula Teixeira e Paulo Ramos na voz.

Participação especial de Jorge Mourato e convidados surpresa."

sábado, 28 de fevereiro de 2009

O Gui precisa da nossa ajuda!

Dêem a conhecer e/ou ajudem este lindo menino: O GUI

img80/1225/gvibrdkh3.png
http://ajuda-ao-gui.blogs.sapo.pt/

Boa sorte, Gui! :)*


"venho aqui pôr o Relato da mãe do gui!:

"Vou tentar ser sucinta e clara, o mais clara que as emoções que em mim despertam sempre que falo ou recordo o momento do parto do meu filho. Aproveito também, para pedir desculpa se este relato não for para todos perceptível, como devem imaginar, falar de emoções ou descreve-las é sempre difícil. Vou partilhar com todos a vivência do parto do meu segundo filho. Sou mãe de três filhos e a diferencia de idades entre a mais velha e o Gui é de sete anos. Como devem imaginar, nos tempos actuais, ter um segundo filho quando a primeira já tem sete anos, com toda a autonomia adquirida, é uma decisão que só se toma quando se deseja muito voltar a ser mãe e claro juntando todos os pedidos de um pai que por experiencia própria é filho único, e de uma irmã que desejava muito ter um mano, sendo que o terceiro foi um acidente que em muito veio alegrar a nossa família. Mas concentremo-nos no meu segundo filho: o Gui.
Após consulta no ginecologista, afim de poder ter a certeza que tudo estava bem comigo em termos de saúde para que esta segunda gravidez planeada decorresse sem problemas, engravidei para nossa alegria. Por sorte, ou mero acaso, cedo soubemos que o nosso filho era um rapaz e que tudo estava bem em termos de desenvolvimento fetal. A gravidez decorreu sem problema de espécie alguma. Ao oitavo mês o médico obstetra que me acompanhava detectou que o Gui mantinha apresentação pélvica, pelo que se começou a programar o parto por cesariana, dado que também sabíamos que a criança era muito grande, pareceu-me a decisão mais acertada. Na última consulta de obstetrícia após observação ecográfica, o médico verificou que o Gui já tinha dado a volta, pelo que os planos da realização de cesariana foram alterados pelo mesmo, não me tendo servido de nada argumentar que, como ele próprio me tinha feito notar o meu bebé era muito grande e, o meu primeiro parto tinha sido difícil com recurso a manobras obstetrícias, nomeadamente a utilização de ventosa. Planos alterados, voltei para casa bastante angustiada, ficando a espera que o Gui desse sinais de que queria nascer. Decorreu o mês de Dezembro, com todas as suas festas! O Gui parecia não queres nascer e, na última consulta o médico decidiu que no dia 2 de Janeiro eu daria entrada na maternidade a fim de me provocarem o parto, acordamos também que seria realizado com anestesia epidural dados os receios por mim manifestados em termos de sofrimento durante o primeiro parto e, do conhecimento de que este bebé ainda era muito maior do que a Vanessa, a minha filha mais velha, que já nasceu com 3.600kg. As nove horas cheguei à maternidade sem qualquer manifestação de início de parto, sem dilatação e sem dores. Penso que não será necessário descrever todas as diligências realizadas para provocar o parto, pois muitos de vós terão, provavelmente, já vivido situação idêntica, no entanto, quero frisar o que aconteceu: o primeiro percalço, o médico deu-me a notícia que a anestesista da equipa, não poderia estar presente dado ter sofrido um acidente de viação, não seria possível fazer epidural. Facto que me deixou nervosa mas, segundo a opinião da enfermeira, não constituía problema algum manifestando que era um segundo filho não ia “custar” nada, ia ser um instantinho, não me devia preocupar. Nesse momento pedi de novo que considerassem a hipótese de realizar o parto com cesariana, pois o Gui era muito grande o que não facilitaria um parto normal e eu não fazia boa dilatação. A equipa considerou que eram receios infundados repetindo-me que tudo iria correr bem para não me preocupar. Sempre acompanhada pelo meu marido, foram passando treze longas horas de dores, contrações, todo o processo de um parto induzido. No momento do nascimento foi pedido ao meu marido para se retirar. A equipa preparou-se e foi-me pedido que colaborasse fazendo muita força, pois tinha que ajudar o meu filho a nascer. Os momentos que vou relatar seguidamente são, como podem imaginar dolorosos, dolorosos no sentido do grande sofrimento físico que passei e da enorme angústia que senti dado ter-me apercebido que nem tudo estaria a correr bem para o meu filho. Muitas vezes dou comigo a pensar que são momentos para esquecer, não são bonitos para recordar, muito menos para partilhar! A cada momento que passava, maior consciência tinha que algo estava a correr mal, o médico referiu que teria de realizar algumas manobras obstetrícias utilizando (novamente) ventosa, de forma a conseguir que o Gui nascesse. Verifiquei que não estava a resultar, o meu filho estava “entalado”, não conseguia nascer. O director de serviço, que se encontrava presente na sala de partos, alertou-me para o facto de o Gui estar já em sofrimento, era premente conseguirmos terminar o parto. Não posso precisar se foi pelo facto do grande sofrimento físico em que estava, se pelo esgotamento psíquico, ou pelo receio cada vez maior de poder perder o meu filho… Fiquei inconsciente durante algum tempo (como e obvio não consigo precisar quanto), quando recuperei os sentidos, retirei a máscara de oxigénio e em pânico constatei que o meu medico não se encontrava na sala e que junto de mim se encontravam uma serie de “caras novas”, uma nova equipa que vinha substituir a anterior (mudança de turno), mantendo-se ambas na sala. O meu médico entrou na sala e informou-me que teria de ir para o bloco fazer uma cesariana, finalmente (pensei eu) uma decisão. Mas surgiu uma última contracção e o meu filho nasceu. ALEGRIA? MEDO? ALIVIO? Não consigo precisar o que senti, qual o sentimento mais forte, mas uma enorme angústia apoderou-se de mim quando verifiquei que o Gui não reagia e foi levado para ser reanimado. Toda a equipa acompanhou o bebé, indício de que algo estava a correr muito mal. Fiquei só naquela sala fria, foram momentos de desespero. Alguém veio tratar de mim, não conseguindo no entanto dar respostas a todas as minhas dúvidas e perguntas que eu fazia relativamente ao meu filho: “Que se passa?” “Para onde levaram o bebe?” “Porque é que não o ouvi chorar?”. Começou a invadir-me uma certeza: algo de muito grave aconteceu ao meu filho. Finalmente, após longos minutos (quase uma hora) de espera e de silêncios, o meu médico veio informar-me que estava tudo bem, sossegando-me dizendo que:"o seu bebé foi só aquecer. Vai descansar! Amanhã de manhã já estará à tua beira”. Como devem imaginar, descansar foi coisa que não consegui fazer! Foi uma interminável noite de angústia. Sem encontrar respostas para todas as dúvidas que me auto-perguntava. Pela manhã quando perguntei ao médico pelo meu filho, ele respondeu que eu poderia ir vê-lo ao serviço de neonatologia. Quando lá cheguei, talvez pelo chamado instinto maternal, dirigi-me correctamente à incubadora onde se encontrava o meu filho, sem orientação de ninguém.
Olhei para aquele bebé todo pisado, inchado, com a cabeça deformada, ligado a varias maquinas e senti que era a criança mais linda do mundo. A partir desse momento podem imaginar ou talvez não, o que se passou... Entre informações contraditórias, incertezas e silêncios como respostas às minhas perguntas, passaram-se 18 dias de internamento do meu filho na neonatologia. Não posso deixar de referir que o meu filho fez convulsões, nas primeiras horas após o nascimento, teve 2 paragens cardíacas, entre outras ocorrências. Das poucas informações que me lembro ter obtido dos serviços foram:
-uma enfermeira ao 2º dia confessa-me que o meu Gui vai ficar com sequelas para toda a vida;
- o meu médico obstetra, enfrentado por mim com a confissão da enfermeira, responde que não devo ouvir ninguém pois ele tinha acompanhado toda a gestação e o parto, e garantia que o bebe não tinha problema algum.
Venho com o meu filho para casa após 18 dias de internamento, sem informação precisa, apesar dos muitos exames que foram realizados no hospital ao meu filho.
Só passados alguns meses começo a tomar consciência de que o meu filho tem PARALISIA CEREBRAL, provocada por anoxia peri-natal (privação de oxigénio das células do cérebro durante o parto). O diagnostico final era o seguinte: 89% de incapacidade, nunca iria andar nem falar. Hoje em dia, o Gui tem 8 anos e, vive numa luta constante de ser um menino “normal”. Ao contrário do diagnóstico médico o Gui já fala, mas não anda. Frequenta a escola como qualquer outra criança, privando-se de algumas actividades que todos os seus amigos executam, como a educação física, devido às suas limitações. Uma vez por semana o meu filho faz terapia da fala e fisioterapia na Associação portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental, mas os tratamentos não são suficientes. Todos os meses faz também uma sessão de quiroprática, estes tratamentos foram já executados, por parte do meu pequeno, mais frequentemente; mas devido à morte da avó materna (que cuidava do menino) tive de deixar de trabalhar para cuidar do Gui e, sendo apenas o pai a sustentar toda a família, era impossível que conseguíssemos aguentar as despesas de todas as semanas ir á guarda para a tal sessão. O Gui é um menino com uma grande força de vontade e que se esforça até ao limite pelo seu objectivo: Andar! Contei-vos a minha história na esperança de que possam ajudar esta família a concretizar o sonho do Gui! Para isso era necessário que ele fosse a Cuba, onde os tratamentos são intensivos e que mostram resultados muito positivos. Temos confiança de que o Gui vem de lá a andar, pois já vimos casos de meninos com deficiências mais profundas que voltaram de Cuba com grandes melhorias. Mas, como todos sabem, os tratamentos são muito caros e, infelizmente, não temos possibilidades para tal. Por isso apelamos a solidariedade dos portugueses para que ajudem o meu filho com donativos, para que ele possa andar e caminhe até todos vós para vos agradecer.
Fátima Almeida"
por favor, ajudem o gui!!!!"

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Azulam a tez do céu...




Nas nuvens revestidas de véu branco
Uma noite despiu-se na sombra
Fazendo a cama no céu enevoado
Onde a bruma ousa cobrir quem ama.

O peito do céu se abre
E brilha a estrela mais afervorada
A Lua com o cio procura amante
Na noite que promete prazer e volúpia.

O Sol faz amor com a Lua
Na noite desnudada por um dia
Astros eclipsados com incandescente fervura
Azulam a tez do céu com loucura.

Hoje, uma música encantou-me...

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

"É bem possível ser feliz sozinho" Excertos duma entrevista a FLÁVIO GIKOVATE

http://d.yimg.com/x/pi/news/brpress/j/2241860264i.jpg
Psiquiatra e psicoterapeuta, o brasileiro, Flávio Gikovate. Em breve lançara o livro "Uma história de amor... com final feliz".

"... é o fascínio do generoso pelo egoísta."

"As escolhas são erradas porque partem da ideia de que dois bicudos não se beijam, e há que procurar os opostos."

"Qual é o melhor? Nenhum. Melhor é a justa proporção." ; " ...Existe em menos de 1% das pessoas, e ainda não encontrei nenhuma."

"Qual a opção? Separar sexo de amor, como os homens sempre fizeram."

"A opção é escolher parceiros parecidos com cada um, em vez de opostos, e construir uma relação de lealdade e companheirismo. Ou melhor, ficar sozinho. Porque para diversão existe o resto do mundo, viagens, teatros, leituras, amigos. Para isso é preciso reforçar a individualidade. São dois inteiros que se juntam, não duas metades. Um inteiro é melhor sozinho do que partido ao meio."

"Então a opção é ficar sozinho/a? É possível ser feliz sozinho. As relações vão de mal a pior e, se não houver uma revisão geral, um tsunami de frustrações amorosas vai engolir toda a gente."

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Então, quer dizer, que perdemos tempo infinito a sonhar com um grande amor; em encontrar a pessoa certa para nós e, o ideal, é ficar sozinho/a!?!? :S

Caso para dizer... E esta heim???


LOL


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Há dias assim... felizes coincidências!



07/02/2009- Lançamento do livro "Amar-te em silêncio" da poetisa Vera Silva

VÍDEO DO LANÇAMENTO

Reencontro surpresa com o simpático amigo e extraordinário actor Luís Mascarenhas. ADOREI a surpresa! :))

Há dias assim... felizes coincidências!

P.S. - Muito OBRIGADA pelas fotos, sofá amarelo! ;)*

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Sedução em palco

http://www.geocities.com/jhn4645/knopfler_mark_dire_straits.jpg


Encima do palco
Envolto em luzes e aplausos
Brilha um músico com mestria e talento
Tocando no corpo libidinoso dum instrumento.

Uma guitarra é tocada
Na sua corda mais erógena.

Geme com o afago
E o músico emite um jacto…

Canta!



Dedicado ao Mark Knopfler.
Com toda a minha admiração e porque não dizer: Eterno amor!

Livro de Poesia: "Amar-te em silêncio" da Poetisa Vera Silva

Convite:

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Uma obra de desenganos




Pintei um quadro
Com imagens que só a alma vislumbra
Num acto abstracto.

Traçados de nenhum objecto
E cores derivadas dum branco negro.

Pintei na pele da tela
Uma realidade incolor
Sem formas de silhueta humana.

Pintei chagas e dor…
Pinceladas de sangue com saliva.

Pintei feridas em almas golpeadas
Com profundas mágoas marcadas na derme.

Um quadro de espírito enferme...

Uma obra de desenganos em própria pele.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

O fado das horas é fatal



Viajo pela introspecção
Sem meta a atingir
Apenas vagueio com a solidão
Companheira na hora de ir…

E vou dando passos tímidos
Por caminhos desconhecidos
Pensamentos que nunca deixei para trás
Relembrando-me do que passei em horas más.

Nesta viagem que fiz em mim
Regredi no tempo de anos passados
Revivendo escolhas e atalhados
Cruciais decisões com um propósito e um fim.

Talvez não tenha vivido em pleno o meu tempo
E tenha desperdiçado outras viagens…
Proezas que podiam ter aberto horizontes
Em horas gastas sem proveito e destino.

O fado das horas é fatal
E a viagem encurta-se pelos caminhos traçados
Já sinto o peso dos anos vividos
E o pesar do indevido é igual.

sábado, 31 de janeiro de 2009

Jardim de poemas... (os teus)



Num jardim de poemas… (os teus)
Aromas florais de sentimentos
Versejavam desejos meus
Nos versos em flor e gomos.

Brotava de amor a poesia
Em cada rosa em prosa encarnada
Florescendo a arte poética
No éden da terra fadada.

A partir da raiz nascem sonhos
Desenvolvem-se botões de poemas… (os teus)
E como beija-flor que somos
Bebemos do néctar de Deus.

A vida é a beleza duma flor-de-lótus
Germinada em água de rosas
Onde se renovam rebentos
Na imensidão floral dos poemas...

(0s teus).

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Virei uma página na minha vida



Virei uma página na minha vida
Não necessitando de a rasgar ou queimar
Virei-a como o tempo se vira
Na memória de nuvem cinzenta que paira no ar.

Quis o tempo amarelar as folhas escritas
Pelo escriba do meu destino de espiral torvelinho
Entre linhas que gelam ou bronzeiam letras
Foi poeta do meu tempo o Sol amarelinho.

E foi o meu destino marcado por odisseias e ventos
Rajadas que viram páginas à vida
Metamorfoses ao sujeito poético dos versos e desalentos.

E nas folhas lesadas pelo tempo de uso
Existem resistentes caracteres à leitura vã
Onde o sol amarela todo o verbo fusco.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Frase



A vida sem erros é uma santidade!

----------

Eu erro!

Até quando faço contas à minha idade...

Até...

Quando o meu coração se apaixona de verdade,

Por uma vida que é um erro.


segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Mergulhei fundo nas palavras do Mar



Mergulhei fundo nas palavras do Mar
E acreditei sem grande ondulação no que ele me dizia
Sabia que nadava em Mar adverso à terra
E a desilusão não tardou embarcar-me na mentira.

Seria o Mar tão sobejamente calmo
Se pudesse nadar confiante até não ter mais pé
Na verdade rebentada em suaves ondas de maré
Da poesia que deu à costa, inscrita em areia verbete.

Nas ondas poéticas do Mar encapelado
Mergulhei sem medo no seu corpo enrolado
Porque fazia crer que Mar picado era calmo
E o meu corpo deu à costa, post-mortem, decomposto.

domingo, 25 de janeiro de 2009

Prémio Sobrevivente ao Romantismo, PARA TI, blogueiro visitante! :)



Hoje, recebi o prémio romantismo, através do blogue frAgMenTUS duma querida amiga. Muito Obrigada! :)
Quem o recebe tem de obedecer a algumas regras:

1)exibir a imagem do selo,
2)linkar o blog pelo qual se recebeu a indicação,
3)escolher outros blogs aquem entregar este Prémio.

Sendo eu, infelizmente, uma blogueira com tempo restrito, ofereço este significativo prémio a quem visitar o meu blogue e queira levá-lo como prémio.

:)*

Em mim gira o Sol...



Em mim gira o Sol…
Circunda-me a clareza dum dia!
Evolo-me na luz que me ocupa,
No calor que me habita,
No êxtase da paixão sentida.

Possuída por um brilho sôfrego
Volatilizei-me por segundos
Ao sentir-me ofuscada por um corpo
Ao prazer dum orgasmo de fogo.

Nunca mais senti a noite escura
E o sol que em mim gira trouxe a Lua
E tudo ficou mais claro na minha vida
Com a chama sempre acesa…
Dum amor translúcido que brilha.

Deitada sob um corpo cintilante
Deixo que me reluza nas entranhas do afecto
A cópula num ardente desejo
Onde o amor é astro rei, quente e sublime
E o Sol raia ternura, zelo e interesse.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Sophia de Mello Breyner - "Fundo do Mar"

http://catarinia.no.sapo.pt/Universo%20Catariniano/sophia.jpg

Um poema que ADORO, sublime!!!



Fundo do mar

No fundo do mar há brancos pavores,
Onde as plantas são animais
E os animais são flores.

Mundo silencioso que não atinge
A agitação das ondas.
Abrem-se rindo conchas redondas,
Baloiça o cavalo-marinho.
Um polvo avança
No desalinho
Dos seus mil braços,
Uma flor dança,
Sem ruído vibram os espaços.

Sobre a areia o tempo poisa
Leve como um lenço.

Mas por mais bela que seja cada coisa
Tem um monstro em si suspenso.



Sophia de Mello Breyner Andresen
Obra Poética I
Caminho

A maldade espelhada num rosto...




Testa árida como terra estéril e seca

Rosto duro e oval de pedra vulcânica

Olhos miúdos como dois peixes minúsculos num aquário

Lábios finos como a linha do horizonte que só se avista

Nariz de longo amanho no campo que dá mau fruto

Orelhas paralelamente intocáveis como o bem e o mal

Cabelo em ondas como vaga de tropel aflito

Um mundo de maldade espelhada num rosto…

O Diabo!


terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Busco o sonho...



Busco o sonho…
Onde as estrelas são caminhos de luz
E as nuvens são véus que cobrem tempestades nos céus.

E onde os olhos se fecham não havendo morte
E o chão que me pisa se some.

Busco o sonho…
Mas não posso confiar cegamente
No brilho feito duma estrela cadente.

Poiso nua numa das fases da Lua
Numa nudez que não me despe mas me faz sentir munida.

Busco o sonho…
Para além dum infinito que me limita
Quando o sol nasce para se pôr em minha honra.

Devolvendo ao universo do meu coração planetário
Um mundo novo que gira ao contrário.

Porque busco um sonho…
Ser um corpo celeste e sideral
Sobrenaturalmente apaixonado por outro sonho.

sábado, 17 de janeiro de 2009

WEST SIDE STORY - Amor sem barreiras

Mais um brilhante espectáculo de Filipe La Féria:


""West Side Story" parte do grande clássico shakespeariano "Romeu e Julieta", cuja agitada Verona é transposta para o contexto da rivalidade entre duas comunidades rivais dos bairros ocidentais da "Big Apple", os quais acolheram o fluxo de imigrantes que rumaram para os Estados Unidos à procura do "sonho americano".

"West Side Story" revolucionou o musical com a extraordinária partitura do grande compositor Leonard Bernstein e a genial coreografia de Jerôme Robbins, sendo até hoje considerado o maior sucesso da Broadway.""

Sinopse

"À semelhança do que acontece em "Romeu e Julieta" de Shakespeare, "West Side Story" apresenta Tony, antigo líder do gangue de brancos anglo-saxónicos chamados Jets, apaixonado por Maria, irmã do líder do gangue rival, os Sharks, formada por imigrantes porto-riquenhos. Um amor sem limites nasce entre o ódio e a rivalidade dos dois gangues e dos seus códigos de honra, tal como a desavença histórica entre os Capuletto e os Montechio da tragédia shakespeariana."


Foi um espectáculo de sonho! Vozes fabulosas que chegam a comover e representações de excelente qualidade!
Estão todos de parabéns!
Destaco os protagonistas da história, Ricardo Soler (Tony) e Cátia Tavares (Maria),não esquecendo dois fabulosos artistas que eu tanto admiro: CARLOS QUINTAS e ANABELA.

ADOREI!!!


A nota musical: Amor



Senti-te!
Pela primeira vez na vida, eu senti-te!
Senti os teus dedos tocarem na minha harpa
De uma forma tocante e melodiosa.

Senti-me corda vibrante com o teu tanger
Libertando música de mim até compor e ler
As pautas pautadas no meu coração de sol e clave.

Senti-me!
Pela primeira vez na vida, eu senti-me!
Senti que de mim se soltavam corpos sonoros
Sons graves, agudos e até mudos
Quando a letra e a melodia unificaram-se em nós.

Senti o contacto dos nossos corpos
Tão nus e em versos…
Tão simbolicamente incorporados…

(O músico e o instrumento em pleno acto de amor.)

Senti-te!
Quando harpeaste em mim toques de veneração
E o amor foi nota musical no nosso coração.
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape NOTA: A maioria das fotos publicadas aqui, no meu blogue, não são da minha autoria.

NÃO ABANDONE!!!

NÃO ABANDONE!!!